Dispositivos de ligações de redes

O que é um Repetidor?

Um repetidor (em inglês repeater) é um equipamento simples que permite regenerar um sinal entre dois nós da rede,para aumentar a distância de cablagem de uma rede. O repetidor trabalha unicamente a nível físico (camada 1 do modelo OSI), quer dizer que trabalha apenas a nível das informações binárias que circulam na linha de transmissão e que não é capaz de interpretar os pacotes de informações.

O que é um Hub?

Um  hub é um elemento material que permite concentrar o tráfego rede que provém de vários hóspedes, e gerar de novo o sinal. O hub é assim uma entidade que possui diversas portas (possui tantas portas quantas as máquinas que pode ligar entre elas, geralmente 4, 8, 16 ou 32). O seu único objectivo é recuperar os dados binários que chegam a uma porta e difundi-los para o conjunto das portas. Da mesma maneira que o repetidor, o hub opera ao nível 1 do modelo OSI, e esta é a razão pela qual às vezes é chamado “repetidor multiports”.

concentrateur - hub

O hub permite assim ligar várias máquinas entre elas, às vezes dispostas em estrela, daí o nome de hub (que significa centro de roda em inglês), para ilustrar o facto de que se trata do ponto de passagem das comunicações das diferentes máquinas.

Tipos de Hubs

Distinguem-se várias categorias de concentradores:

  • Os Hubs ditos “activos”: são alimentados electricamente e permitem regenerar o sinal nas diferentes portas
  • Os Hubs ditos “passivos”: permitem apenas difundir o sinal a todos os hóspedes conectados sem amplificação

Ligação de vários hubs

É possível ligar vários hubs entre eles a fim de concentrar um maior número de máquinas, fala-se então de ligação em cascata (às vezes chamada daisy chains , em inglês). Para o efeito, basta ligar os hubs com um cabo cruzado, isto é, um cabo que liga os conectores de recepção de uma extremidade aos conectores de recepção da outra.

O que é um Switch?

Um switch (comutador) é uma ponte multiportas, o que quer dizer que se trata de um elemento activo que age no nível 2 do modelo OSI.O switch analisa as tramas que chegam às suas portas de entrada de entrada e filtra os dados a fim de as comutar unicamente para as portas adequadas (fala-se de comutação ou redes comutadas). De modo que o switch permite combinar as propriedades da ponte em matéria de filtragem e do concentrador em matéria de conexão. Eis a representação de um switch num esquema de princípio:

O que é uma Bridge (Ponte)?

Uma ponte é um dispositivo material que permite ligar redes que trabalham com o mesmo protocolo. Assim, contrariamente ao repetidor, que trabalha a nível físico, a ponte trabalha igualmente ao nível lógico (a nível da camada 2 do modelo OSI), quer dizer que é capaz de filtrar as tramas deixando passar unicamente aquelas cujo endereço corresponde a uma máquina situada no extremo da ponte.

Assim, a ponte permite segmentar uma rede conservando a nível da rede local as tramas destinadas ao nível local e transmitindo as tramas destinadas às outras redes. Isto permite reduzir o tráfego (nomeadamente as colisões) em cada uma das redes e aumentar o nível de confidencialidade, porque as informações destinadas a uma rede não podem ser ouvidas no outro fio.

Por outro lado, a operação de filtragem realizada pela ponte pode conduzir a um ligeiro atraso aquando da passagem de uma rede à outra, é a razão pela qual as pontes devem ser colocadas judiciosamente numa rede.

exemple de pont (bridge)

Uma ponte serve habitualmente para transitar pacotes entre duas redes do mesmo tipo.

O que é um Router

O Router é um equipamento de interconexão de redes informáticas que possibilita o encaminhamento dos pacotes entre duas redes ou mais, a fim de determinar o caminho que o pacote de dados deve tomar.

Quando um utilizador chama uma URL, o cliente Web (navegador) interroga o servidor de nomes, que lhe indica o endereço IP da máquina visada.

O seu computador envia o pedido ao router mais próximo, ou seja, à passarela, por defeito da rede onde se encontra. Este router vai, então, determinar para que máquina os dados serão encaminhados, de maneira a que o caminho escolhido seja o melhor.
Para fazer isso, os routers mantêm atualizadas as tabelas de encaminhamento, verdadeiro mapeamento de itinerários a seguir, em função do endereço visado. Existem inúmeros protocolos para realizar esta tarefa.

routeurs proxy et firewall

Além de sua função de encaminhamento, os routers permitem a manipulação dos dados que circulam sob a forma de data-gramas para se certificarem da passagem de um tipo de rede a outro. Ora, na medida em que as redes não têm as mesmas capacidades em termos de dimensão de pacotes de dados, os roteadores estão encarregues de fragmentar os pacotes de dados, para permitir a sua circulação.

1 Comentário

  1. Novembro 20, 2009 às 11:23 pm

    O teu vlog tá muito vonito!
    Visita o meu:

    http://antonioviana.wordpress.com/


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: